Afinal, qual é a composição química do vidro?

O vidro é um dos materiais mais versáteis do mercado, sendo utilizado em embalagens para alimentos, bebidas, medicamentos, na confecção de acessórios como pratos, copos, garrafas, janelas, portas, entre outros. Essa versatilidade, em grande parte, é resultado da composição química do vidro, que abriga em conjunto diferentes substâncias, cada uma com suas particularidades e especificidades próprias.

A composição química do vidro oferece como principal vantagem a inércia. Ou seja, o vidro não interage com outras substâncias químicas, facilitando a sua utilização em diferentes segmentos que necessitam de uma armazenagem segura para alimentos, bebidas e medicamentos, por exemplo. A fabricação do vidro, de maneira geral, costuma utilizar como base as mesmas substâncias químicas, que oferecem características distintas ao material.

Composição química do vidro: elementos principais

A composição química do vidro mais comum costuma utilizar substâncias como: a sílica ou óxido de silício (SiO2), fórmula química da areia, que é o principal componente; o óxido de cálcio (CaO), utilizado para dificultar a cristalização da sílica; o carbonato de sódio (Na2CO3) ou óxido de sódio (Na2O), utilizado para remover bolhas de ar; alumina ou óxido de alumínio (Al2O3), que reforça a resistência contra choques mecânicos; e o óxido de magnésio (MgO), que proporciona ao vidro a capacidade de resistir às mudanças bruscas de temperatura.

De maneira geral, a composição química do vidro utilizada nas fábricas especializadas confere ao produto final propriedades como, por exemplo:

  • Dureza;
  • Transparência;
  • Impermeabilidade;
  • Isolamento térmico;
  • Possibilidade de reaproveitamento.

Durante o processo de fabricação, as substâncias que fazem parte da composição química do vidro são misturadas e colocadas em um forno industrial, para que atinjam uma determinada temperatura. Após um período de aquecimento, a mistura forma um material líquido que, ao sair do forno, acaba resultando em um material viscoso que será manipulado na forma desejada, formando toda a infinidade de objetos conhecidos que são feitos com vidro.

Tipos de vidro mais comuns

Vale lembrar que a composição química do vidro costuma sofrer alterações de acordo com o tipo de vidro fabricado e com a sua destinação. Hoje em dia, os tipos de vidro mais comuns encontrados na lojas e fábricas especializadas são o vidro float (o vidro comum), vidro laminado, vidro temperado, vidro antifogo, vidro blindado, vidro aramado, vidro canelado, entre outros vários modelos.


Regiões onde a Vidraçaria Ideal atende composição química do vidro:


Principais regiões do Brasil onde a Vidraçaria Ideal atende composição química do vidro: